Sexta-feira, Setembro 17, 2021

Nazaré: Rouxinol Jr. destacou-se em noite agradável

Nazaré: Rouxinol Jr. destacou-se em noite agradável, este sábado, na castiça praça do Sítio.

A Praça de Touros do Sítio da Nazaré recebeu, este sábado, a terceira corrida da sua temporada tauromáquica.

Frente a um curro de touros da ganadaria de Romão Tenório, actuaram os cavaleiros Filipe Gonçalves, João Moura Jr. e Luís Rouxinol Jr. e os Forcados Amadores de Azambuja, Coruche e Clube Taurino Alenquerense.

Após as cortesias, o Grupo de Forcados Amadores do Clube Taurino Alenquerense, através do cabo Fábio Lucas, homenageou o Grupo de Forcados Amadores de Coruche, pelos 50 anos de actividade.

Filipe Gonçalves abriu praça, frente a um colaborante touro, bem apresentado e com mobilidade. O toureiro algarvio joga em casa na Nazaré e teve o público consigo em toda a lide, na qual esteve muito bem na brega, na preparação das sortes e remate das mesmas. As reuniões nem sempre resultaram ajustadas, mas terminou em grande nível com um par de bandarilhas de muito mérito.

Pelos Amadores de Azambuja foi à cara Rui Viegas, que se lesionou na primeira tentativa, saindo em maca. Foi dobrado por João Gonçalves, com a pega a ser concretizada à segunda tentativa efectiva do grupo, numa excelente execução do forcado da cara.

Duas voltas à arena (NDR: actualmente as voltas limitam-se a agradecimentos no centro da arena) para cavaleiro e forcado.

João Moura Jr. esteve em muito bom nível na lide ao segundo touro da noite. João está num excelente momento de forma e toureia com alegria, saindo-lhe tudo com, aparente, facilidade e normalidade. Após a série de curtos, subiu o nível na cravagem curta, fruto de uma extraordinária brega, sortes bem desenhadas e rematando com vistosidade. Dois curtos de excelente nota, uma ‘Mourina’ de grande qualidade e um palmito a encerrar uma actuação redonda, agradaram ao público.

João Laranjinho, pelos Amadores de Coruche, concretizou ao primeiro intento, numa boa execução, com o grupo a responder rápida e eficientemente.

Luís Rouxinol Jr. esteve muito bem, frente a um touro de irrepreensível apresentação, mas complicado.
O cavaleiro tem uma raça que parece inesgotável e uma sede de vencer que o ajudam a dar volta às complicações. Nesta lide tem 3 cravagens de ferros curtos de muito boa nota, pisando terrenos de compromisso e reunindo de forma ajustada. Um ou outro percalço não retiram valor a uma boa actuação.

Diogo Trindade, pelos Amadores do Clube Taurino Alenquerense, ao primeiro intento, fechando-se bem e com o grupo a cumprir de forma eficaz.

A segunda actuação de Filipe Gonçalves foi menos bonita do que a primeira, porém positiva. As cravagens não resultaram cingidas, umas vezes por falta de touro, outras por falta de sítio. Duas passagens em falso contribuíram para uma actuação que não foi redonda, mas na qual contou com forte apoio do público que o acarinha bastante quer nos bons como nos menos bons momentos. O cavaleiro algarvio não virou a cara à luta e desenhou uma actuação de menos a mais, sob fortes aplausos.

Rúben Franco, pelos Amadores da Azambuja, concretizou ao primeiro intento numa competente execução, bem secundado pelo grupo.

João Moura Jr. esteve em patamar positivo, embora com menos qualidade do que na primeira lide. Acabou por não romper e em parte deve a um touro com pouca transmissão. Moura Jr. esteve bem na brega e tem dois ferros de muito boa nota, com reuniões cingidas e bem rematadas.

Pedro Palma, dos Amadores de Coruche, concretizou ao primeiro intento.

Rouxinol Jr. fechou as actuações com uma grande actuação. Depois de não brilhar nos ferros compridos, mudou a sorte na cravagem curta. Brega de muitos quilates, aguentando a investida do touro, a escolher bem os terrenos e os dois primeiros curtos são de grande qualidade, com desenhos frontais e reuniões cingidas. Mas o melhor estava guardado para o fim, com um um ferro cravado antecedido de forte batida ao piton contrário. Terminou em grande uma actuação de menos a mais.

Joaquim Rafael, pelos Amadores do C. T. Alenquerense, concretizou a pega ao primeiro intento.

O curro de Romão Tenório saiu bem apresentado, sem excesso de peso, permitindo actuações mais templadas e artísticas aos toureiros. Pecaram pela falta de transmissão, destacando-se o 6º como o melhor e o 3º como o pior, de um lote díspar de comportamento.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever
Corrida de Sobral de Monte Agraço 2021