Sexta-feira, Setembro 24, 2021

Santa Casa Alfama presta homenagem a Carlos do Carmo

Santa Casa Alfama presta homenagem a Carlos do Carmo

Santa Casa Alfama presta homenagem a Carlos do Carmo, na edição deste ano.

O Festival Santa Casa Alfama está de regresso para uma edição que vai homenagear Carlos do Carmo. Nos dias 24 e 25 de setembro, Lisboa volta a vestir-se de Fado para mais dois dias em que a nossa música é o centro das atenções no coração de Alfama, com toda a segurança, respeitando todas as orientações da Direção-Geral da Saúde.

Como não poderia deixar de ser, Carlos do Carmo é o grande homenageado desta edição, e o momento alto dessa homenagem será um concerto preparado para o dia 25 de setembro, no Palco Santa Casa, com Camané, Gil do Carmo, Maria da Fé, Marco Rodrigues, Paulo de Carvalho, Ricardo Ribeiro e Sara Correia.

CONCERTO DE HOMENAGEM A CARLOS DO CARMO

O ano de 2021 começou com a notícia do desaparecimento de alguém cuja voz se confunde com os últimos cinquenta anos de história do próprio país. Carlos do Carmo é, sem dúvida, uma figura incontornável da cultura portuguesa, da sua música e do seu Fado… A ligação que tinha a Ary dos Santos, e a outros grandes letristas e compositores da sua geração, fez dele o intérprete que melhor cantou a cidade de Lisboa, uma cidade que agora se prepara para o homenagear, na edição deste ano do Santa Casa Alfama.

Com Fado nos genes, filho de Lucília do Carmo, uma das maiores fadistas de sempre, Carlos do Carmo construiu uma carreira ímpar enquanto intérprete, atravessando gerações, e dona de êxitos como “Lisboa Menina e Moça”, “Os Putos”, “O Homem na Cidade”, “O Amarelo da Carris”, “No Teu Poema”, entre tantos outros. Além do carinho do público e dos seus pares, ao longo da sua carreira recebeu também os inevitáveis prémios e distinções: Globo de Ouro de Excelência e Mérito, Prémio Goya e, claro, o Grammy Latino na categoria “Lifetime Achievement”.

Figura unânime e incontestada, Carlos do Carmo destacou-se sempre pela forma cuidada e ao mesmo tempo inovadora com que sempre olhou para a sua matriz, o Fado, e também pelo apoio e encorajamento dado às novas gerações de fadistas. Por estes e outros motivos, a sua influência para elevar o Fado ao longo dos últimos cinquenta anos foi constante, nomeadamente quando deu o seu contributo precioso, juntamente com o Museu do Fado do qual foi também grande impulsionador, para a candidatura da nossa música a Património Imaterial da Humanidade.

O Santa Casa Alfama prepara-se para homenagear Carlos do Carmo num espetáculo com produção de Marco Rodrigues – também ele a homenagear um grande amigo, a sua principal referência, e o primeiro responsável pela paixão de Marco Rodrigues pelo Fado. De resto, todo o elenco que irá pisar o Palco Santa Casa no dia 25 de setembro é composto por fadistas que, de algum modo, tinham uma forte ligação a Carlos do Carmo. Camané, Ricardo Ribeiro e Marco Rodrigues, por exemplo, participaram no disco “Fado é Amor”, um registo em que Carlos do Carmo convidou alguns dos principais fadistas da nova geração para fazer um disco de duetos; Paulo de Carvalho foi um dos seus grandes amigos e parceiros no mundo da música, responsável por temas clássicos como “Lisboa Menina e Moça” ou “Os Putos”; Maria da Fé escreveu algumas das principais páginas da história do Fado, ao longo das várias décadas em que Carlos do Carmo também o fazia; Sara Correia representa a capacidade criativa da nova geração, um traço que foi sempre apoiado e motivado pelo fadista; e, finalmente, o seu filho Gil do Carmo, admirador do trajeto e do trabalho do pai, participa nesta noite de homenagem como nobre representante dos fortes laços familiares do fadista. E, como não poderia deixar de ser, os músicos que irão acompanhar os intérpretes nesta homenagem serão os amigos que acompanharam Carlos do Carmo nas últimas décadas, a sua “família da estrada” como lhes chamava: José Manuel Neto na guitarra portuguesa, Carlos Manuel Proença na viola e Marino de Freitas no baixo.

FADO NOS BAIRROS
Alfama, Bairro Alto, Castelo, Graça, Mouraria e Terreiro do Paço
11 de junho a 16 de julho

O Santa Casa Alfama vai levar o Fado às ruas de Lisboa em junho e julho.

Com o objetivo de apoiar os músicos e fadistas que vão participar no Festival, no momento difícil que a Cultura atravessa, o Santa Casa Alfama vai levar o Fado aos bairros mais emblemáticos da cidade: Castelo, Alfama, Terreiro do Paço, Mouraria, Graça e Bairro Alto. De 11 de junho a 16 de julho, às 17h00, há 6 concertos “à janela” de 6 fadistas que vão participar no Festival.

Dia 11 de junho, Conceição Ribeiro leva toda a sua garra ao Castelo; dia 18 de junho, o príncipe do Fado, Artur Batalha, canta num bairro que conhece bem: Alfama; dia 25 de junho, o Terreiro do Paço recebe o talento irresistível da jovem Maura Airez; já no mês de julho, dia 2, Jaime Dias canta onde se sente melhor, entre o calor humano do bairro da Mouraria; dia 9 de julho, Pedro Galveias leva o seu charme e a sua versatilidade à Graça; e por fim, é a vez de Natalino de Jesus levar a sua elegância ao Bairro Alto.

Primeiras confirmações:

Dia 24 de setembro
Palco Santa Casa
Camané
Sara Correia

Dia 25 de setembro
Palco Santa Casa
Concerto de Homenagem a Carlos do Carmo
Miguel Moura

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever