Domingo, Outubro 24, 2021

Rui Salvador e Miguel Moura destacaram-se em Sobral de Monte Agraço

Rui Salvador e Miguel Moura destacaram-se em Sobral de Monte Agraço

Rui Salvador e Miguel Moura destacaram-se em Sobral de Monte Agraço, na corrida de touros realizada este domingo.

A Praça de Touros de Sobral de Monte Agraço recebeu, hoje, a segunda corrida da Feira Taurina que celebra o centenário do tauródromo.

O cartel foi composto pelos cavaleiros João Moura, Rui Salvador, Ana Batista, Duarte Pinto, Miguel Moura e David Gomes, pelos forcados amadores de Vila Franca de Xira e Beja e pelos touros da ganadaria de Lopes Branco.

Ambiente simpático em redor da praça, antes da corrida, com o público a encher a lotação permitida do tauródromo. Uma tarde em que se destacaram Rui Salvador e Miguel Moura com duas lides muito bem conseguidas. O curro de touros saiu bem apresentado, para a praça em questão, com comportamento desigual e pecando em termos de transmissão.

Após as cortesias, foram entregues cartazes emoldurados desta corrida aos cavaleiros, cabos dos grupos de forcados e ganadeiro, assinalando o centenário da praça.

João Moura abriu praça frente a um touro com 490 Kg. Uma actuação com pouca história, em muito condicionada pela não transmissão do touro, que inclusive obrigou o cavaleiro a passagens em falso, por faltar ao momento da reunião. Moura cumpriu a função mas sem grande possibilidade de triunfo, devido ao oponente.

João Valença, pelos Amadores de Vila Franca de Xira, concretizou a pega ao primeiro intento, com o grupo a reagir bem à mudança de rumo por parte do touro.

Rui Salvador desenhou uma boa lide, frente a um touro mais colaborante, mas que exigia um toureio muito em curto. O ginete esteve soberbo na forma como rapidamente o entendeu, com uma brega muito em curto, colocação correcta nos terrenos e a ir de frente ao touro, abrindo quarteio e cravando como mandam as regras. Lide de grande valor e mérito de um cavaleiro intemporal.

António Aleixo e Bruno Vitória, pelos Amadores de Beja, concretizaram a pega de cernelha.

Ana Batista enfrentou um touro com comportamento muito semelhante aos anteriores, destacando-se a falta de transmissão. A cavaleira nem sempre o conseguiu entender nem executar com correção as distâncias que este exigia. Algumas reunião não resultaram cingidas, embora se destaque a resiliência da cavaleira que foi muito acarinhada pelo público. Actuação irregular.

Diogo Conde, pelos Amadores de Vila Franca, à segunda tentativa, reunindo bem e aguentando os derrote até o grupo fechar.

Duarte Pinto desenvolveu uma actuação em crescendo, melhorando bastante durante a série de ferragens curtas. O cavaleiro tem dois curtos de muito boa nota, manchados por outros em que as reuniões não foram tão cingidas quanto desejável. Duarte é um cavaleiro clássico e para essa concepção artística, o esforço é maior, mas o ginete não virou a cara à luta e acabou por ter uma actuação positiva, embora sem romper rumo ao triunfo desejado.

Pedro Fernandes, pelos Amadores de Beja, concretizou a pega ao terceiro intento.

Miguel Moura foi autor de uma muito boa actuação, frente a um muito colaborante touro. A sua voz de eterno menino, não pode, nem deve desviar o foco de um enorme toureiro que esta temporada tem tido boas actuações em quase todas as corridas em que participou. Nesta, destacou-se por uma brega muito em curto, levando o touro na garupa do cavalo, até o deixar nos terrenos pretendidos. Depois foi desenhando sortes com muita classe e tranquilidade, exceptuando no segundo ferro curto. As reuniões resultaram na maioria das vezes cingidas.

Rodrigo Andrade, pelos Amadores de Vila Franca de Xira, concretizou a pega ao primeiro intento. Nesta pega, destaca-se também o rabejador.

David Gomes enfrentou o touro mais pesado da corrida. O cavaleiro demonstrou bons modos na brega e também no desenho das sortes. Dois ferros curtos de boa nota, foram o maior destaque da sua actuação, que veio a menos depois de um ferro, em sorte de violino, e um palmito não terem ficado cravados, após baterem noutros já cravados. Prolongou demasiado a lide, com um e outro ferro.

Manuel Maria Vicente, pelos Amadores de Beja, concretizou ao primeiro intento.

A Ganadeira acabou por ser chamada à arena, ao mesmo tempo que o speaker anunciou que a empresa repetirá esta ganadaria no próximo ano.

Corrida dirigida por José Soares, assessorado por Jorge Moreira da Silva. 

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
114InscritosInscrever