Quarta-feira, Setembro 29, 2021

Tomar – Mais respeito e menos música pimba

Tomar – Mais respeito e menos música pimba
Arquivo / D.R.

Tomar – Mais respeito e menos música pimba, resume a corrida de touros realizada, este sábado, em Tomar.

Decorreu em Tomar, na noite de Sábado, uma corrida de touros de homenagem ao emigrante. Do cartel faziam parte os cavaleiros Rui Salvador e Filipe Vinhais, bem como o rejoneador espanhol Andrés Romero. Pegavam esta noite os grupos de forcados amadores do Ribatejo, Tomar e Azambuja. Lidaram-se touros da ganadaria de São Martinho.

Texto: Pedro Rodrigues

A Praça de Touros José Salvador encheu-se dentro das condicionantes impostas pela pandemia que atravessamos e sem dúvida que há que dizer que se exige muito mais respeito pelo público pagante e que não merece ser defraudado como foi. Aquando da entrada do director de lide na arena, logo se percebeu que nos médios, a presença de água era excessiva, o que levava a que os cavalos escorregassem. Culpa da empresa, dos artistas que estiveram na Praça muito antes do seu início, ou da direção de corrida? Não sei de quem foi, mas o público não tem culpa e não merece ser retribuído com música pimba enquanto uma carrinha em mau estado, tenta resolver o problema, passando a arena com uma grade. Cerca de cinquenta minutos depois da hora anunciada para iniciar a corrida, lá começou o espetáculo.

Rui Salvador lidou um primeiro touro, que se mostrou muito atento a tudo o que mexia fora da arena, e muito pouco interessado no cavaleiro. Deixou a ferragem da ordem como pôde. No segundo do seu lote, elevou a qualidade da sua prestação, ao deixar curtos de muito bom efeito, em reuniões bem desenhadas.

Filipe Vinhais foi mais uma das faltas de respeito pelo público que pagou o seu bilhete para assistir ao espetáculo. Não tem montadas capazes de resolver as situações, não se consegue adaptar aos touros que tem pela frente e gera pitos nas bancadas, ouvindo-se frases como “Vai dormir” ou até “Dedica-te à pesca”. Não é benéfico para a tauromaquia situações deste tipo. No seu primeiro deixou a ferragem da forma possível, já frente ao segundo do seu lote esteve mal, para não dizer muito mal!

O rejoneador espanhol Andrés Romero, apresentou-se em Tomar com cavalos muito bem postos, porém a sua compreensão dos oponentes não é a ideal. Frente ao terceiro, começou menos bem, cravando ferros passados e aliviados, melhorando com o avançar do tempo. Acabou a sua primeira prestação no escuro, dado que houve uma quebra total da iluminação elétrica da Praça de Touros. No último touro esteve melhor, dentro do seu estilo mais exuberante e que contagia o público que aplaudiu com força. Terminou com um toque na montada, num ferro solicitado pelos espectadores, quando podia ter saído em plano bem melhor.

Em noite de exaltação ao forcado, os Amadores do Ribatejo pegaram à primeira e segunda por intermédio de Dário Silva e Ricardo Regueira. Pelos amadores de Tomar foram caras o cabo Hélder Parker e Fábio Sousa consumando à primeira e segunda tentativas e por fim pela formação da Azambuja, Rui Mogas e João Gonçalves pegaram ambos ao primeiro intento.

O curro de touros da ganadaria de São Martinho saiu com extraordinária apresentação, dissemelhante comportamento, destacando pela negativa o 1º e pela positiva o 2º.

Corrida dirigida de forma negativa por José Soares, mostrando pulso pouco firme quando o devia ter demonstrado, assessorado pelo médico veterinário José Luís Cruz, numa noite em que foi respeitado minuto de silêncio em memória do antigo cabo dos Amadores de Santarém, Carlos Empis.

Tomar – Mais respeito e menos música pimba, é apenas algo que não deveria acontecer num sector em grave crise.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever