Sexta-feira, Setembro 24, 2021

Luís Miguel Pombeiro quer ver “força que, eu penso que, tem o toureio a pé em Portugal”

Luís Miguel Pombeiro quer ver "força que, eu penso que, tem o toureio a pé em Portugal"
Fotografia: Rute Nunes e Carlos Pedroso

Luís Miguel Pombeiro quer ver “força que, eu penso que, tem o toureio a pé em Portugal”, revelou o empresário em declarações ao Infocul.pt.

A 16 de Julho, na Praça de Touros do Campo Pequeno, actuam os matadores Finito de Córdoba, Jose Garrido, Manuel Dias Gomes e Juanito, frente a touros das ganadarias Nuñez de Tarifa e Voltalegre.

Sobre a construção deste cartel, totalmente a pé, disse que “a base deste cartel é o Vítor Mendes. Foi uma máxima figura do toureio nos últimos anos, neste século e no século passado, vi que fazia 40 anos de alternativa e vi que fazia todo o sentido que fosse homenageado na primeira praça do seu país, numa das catedrais mundiais do toureio“.

A partir daí foi surgindo o cartel. Primeiro eram três matadores, pensou-se que deveriam ser os 4 para fazer um mano-a-mano Portugal-Espanha, 2 matadores portugueses de arte, dois matadores espanhóis de arte. As duas ganadarias são duas ganadarias que pastam em Portugal, inscritas na Associação Criadores Touros de Lide. São de dois espanhóis que têm uma grande experiência em termos de ganadarias, a ganadaria Nuñez de Tarifa do Curro Nuñez e ganadaria Voltalegre, era a antiga ganadaria de João Moura, que muitas vezes foi toureada pelo Curro Romero e muitas vezes preferida nas grandes feiras, com encaste Domecq-Maribel Y barra“, acrescentou.

Foi-se construindo um cartel e optou-se por ser um cartel só de toureio a pé. E vamos ver a força que, eu penso que, tem o toureio a pé em Portugal“, disse ainda.

Esta é uma corrida que podia ter sido montada em Olivença, Badajoz, Sevilha e até Madrid“, rematou.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever